Somente consulta particular
Procto PrimeProcto PrimeProcto Prime
(11) 96489-7000
contato@proctoprime.com.br
São Paulo / SP e Barueri / SP

Prolapso retal: sintomas e tratamentos

  • Home
  • Blog
  • Prolapso retal: sintomas e tratamentos

O prolapso retal é o nome dado à situação em que a parte interna do reto acaba saindo pelo ânus e ficando exposta. Ele pode acometer indivíduos de qualquer idade e gênero, mas apresenta um maior número de casos em mulheres e em pessoas com idade superior a 60 anos.

Para saber mais sobre esse quadro, quais são seus sintomas e conhecer as possibilidades de tratamentos existentes, continue lendo este artigo.

Tipos de prolapso retal

Antes de abordarmos quais são as principais causas desta condição, é importante evidenciar que existem dois tipos de prolapsos retais, são eles:

  • Prolapso retal parcial: nesse caso, ocorre a exposição apenas da camada de revestimento mucoso do reto, o que pode dificultar a identificação do prolapso e, inclusive, ser confundido com a doença hemorroidária, por muitos médicos generalistas;
  • Prolapso retal total ou Procidência retal: já aqui, todas as camadas do reto do paciente ficam expostas na região anal, o que torna mais evidente a exteriorização do conteúdo intestinal através do ânus.

Principais causas

O prolapso retal acontece por conta do enfraquecimento dos músculos responsáveis por sustentar o intestino. O envelhecimento é um dos fatores responsáveis pela perda do tônus muscular da região anal, então é mais comum, esta situação acontecer em pessoas a partir dos 60 anos.

Outro motivo para o desenvolvimento do prolapso retal é a realização de força, em excesso, na hora de evacuar e a prisão de ventre.

Crianças com menos de 3 anos também podem ser acometidas pelo quadro de prolapso retal, já que os órgãos ainda não estão totalmente fortalecidos. No entanto, existem outras causas para essa situação acontecer, veja algumas delas abaixo:

  • Infecção intestinal pelo verme Trichuris trichiura;
  • Malformações do intestino;
  • Fibrose cística;
  • Esclerose múltipla;
  • Tumor retal;
  • Falta de fixação do reto;
  • Alterações neurológicas.

Além disso, pode acontecer de alguns pacientes desenvolverem o prolapso retal após a realização de cirurgias, parto ou lesões na região anal.

Sintomas do prolapso retal

O prolapso retal, normalmente, é identificado quando se torna possível visualizar o reto na parte externa da região anal. Esta parte do corpo tem como principais características ser um tecido avermelhado, úmido e em formato de tubo. Mas, além disso, há outros sintomas que o paciente pode sentir, alguns deles são:

  • Dores abdominais;
  • Sensação de uma massa no ânus;
  • Sensação de “peso” na pelve;
  • Ardência, sangramento e desconforto anal;
  • Dificuldade para evacuar.

É importante que, ao apresentar esses sintomas, o paciente faça uma avaliação com um médico especialista. Em muitos casos, o prolapso retal é confundido com hemorroidas, mas são duas situações diferentes e que precisam de tratamentos divergentes.

O profissional ideal para analisar a situação deve ser um coloproctologista, que irá realizar um exame proctológico completo para que seja possível um diagnóstico preciso.

Dependendo do caso, o paciente pode precisar fazer procedimentos como colonoscopia, sigmoidoscopia ou exames radiográficos, para que seja visto com mais precisão toda a extensão do reto, bem como, afastar outros diagnósticos diferenciais.

Tratamento para o prolapso retal

O tratamento deve ser feito conforme a gravidade do quadro. Geralmente, é realizada a compressão das nádegas com a intenção de recolocar o reto para dentro do ânus; caso não funcione, a reintrodução pode ser feita de maneira manual pelo coloproctologista.

Se o prolapso retal foi causado por uma prisão de ventre, é recomendado o tratamento com laxantes e o aumento da ingestão de alimentos ricos em fibras, a fim de tentar reduzir o esforço na hora de evacuar e regular o intestino. Além disso, beber, pelo menos, 2 litros de água também é um fator muito importante para o sucesso do tratamento. Entretanto, alguns casos de constipação intestinal exigem tratamento específicos, portanto, o adequado, caso estas dicas não funcionem, é passar em avaliação com um especialista para investigação e tratamento corretos.

Outra alternativa é a realização do procedimento cirúrgico, que é mais indicado quando o paciente costuma ter o quadro com certa frequência, e deseja melhorar a sua qualidade de vida. A cirurgia consiste na ressecção de uma parte do reto e/ou a fixação do segmento prolapsado ao osso sacro, a fim de garantir que os episódios de prolapso retal não aconteçam novamente. Lembrando que o acesso cirúrgico pode ser realizado “por baixo” (pelo reto) ou “por cima” (via abdominal) e, inclusive, alguns em casos podem ser realizado por cirurgia minimamente invasiva (videolaparoscopia ou cirurgia robótica).

Crianças, geralmente, não precisam passar por nenhum tipo de procedimento cirúrgico, pois com o passar do tempo o quadro tende a melhorar espontaneamente, mas isso não descarta o acompanhamento médico especializado.

Gostaria de ficar por dentro de todos os assuntos sobre saúde colorretal? Me siga nas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos todos os dias.

Meus pacientes recebem atendimento personalizado em todas as etapas do tratamento e minha secretária prime fica à disposição 24hs por dia, todos os dias da semana, para esclarecer possíveis dúvidas.

Entre em contato e agende uma consulta com quem entende do assunto!

Compartilhar:

Pesquisar

Categorias

Posts Recentes

At vero eos et accusamus et iusto odio digni goikussimos ducimus qui to bonfo blanditiis praese. Ntium voluum deleniti atque.

Melbourne, Australia
(Sat - Thursday)
(10am - 05 pm)